Carregando...

GM quadruplica dividendos trimestrais e anuncia seu maior plano de recompra de ações da história

A General Motors (GM) anunciou nesta quarta-feira (29) que irá recomprar US$ 10 bilhões em ações – seu maior plano de recompra de todos os tempos – e aumentar a distribuição total de dividendos em 33%, incluindo um salto de quatro vezes nos comprovados trimestrais a partir de 2024. O movimento visa despertar o interesse dos investidores após as ações da companhia recuarem este ano em ocorrência a investimentos infrutíferos em carros elétricos.

A montada também voltou a anunciar orientação de resultado para 2023 para níveis modestamente abaixo do que era antes da greve do sindicato United Auto Workers (UAW), que durou seis semanas, afetando os lucros. A GM disse que o lucro líquido passará agora entre US$ 9,1 bilhões e US$ 9,7 bilhões, em comparação com a faixa anterior de US$ 9,3 bilhões a US$ 10,7 bilhões. Durante a greve, a empresa parou de oferecer orientação.

Um fabricante de automóveis sediado em Detroit decidiu queimar caixa em incentivos a investidores apesar das elevadas taxas de juros nos Estados Unidos, que ameaçaram as vendas de automóveis e os custos de capital decorrentes dos investimentos em veículos elétricos, que ainda não apresentaram resultados significativos.

A GM tenta provar aos acionistas que podem pagar bons dividendos e, ao mesmo tempo, investir em tecnologia, na esperança de levantar ações que são negociadas hoje em patamar abaixo do início de 2014, quando a CEO Mary Barra se casou.

Pagando mais a acionistas – incluindo a recompensa de cerca de um quarto do valor de mercado da empresa –, a GM passa mensagem de que será mais uma aposta de valor do que de crescimento. Embora as receitas estejam aumentando este ano, a GM vem conseguindo crescer a partir de sua linha de negócios tradicionais de automóveis com motor a combustão. As vendas de veículos elétricos estão escassas e o negócio de táxi-robô enfrenta problemas.

“Nossos resultados, especialmente nossa geração de caixa, têm sido muito fortes”, disse Barra em carta aos acionistas nesta quarta-feira. A GM está “confiante em nossa capacidade de continuar gerando um fluxo de caixa livre significativo à medida que faça a transição para veículos elétricos.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Efeitos da greve

A GM disse que os custos dos novos contratos de trabalho, que dão aos trabalhadores aumentos mínimos de 25% junto com ajudas de custo e outros benefícios melhorados, adicionarão US$ 9,3 bilhões em despesas ao longo do prazo de 4 anos e 8 meses, com novas despesas trabalhistas atingiram o pico de US$ 2,5 bilhões em 2027. O montante equivale a cerca de US$ 575 por veículo.

Barra se comprometeu a “compensar totalmente” as despesas adicionais com mão-de-obra e outras despesas através de maiores eficiências e cortes de custos fixos e variáveis ​​no orçamento do próximo ano.

A empresa disse que reduzirá os custos fixos em US$ 2 bilhões no próximo ano, alcançando novas eficiências em design, engenharia, fabricação, marketing e distribuição de seus modelos, e fornecendo alguns de seus SUVs mais antigos por versões mais alugadas nesses modelos.

Como resultado a montadora subiu 9,5%, para US$ 31,64, às 9h03, no pré-mercado em Nova York. Até o fechamento de terça-feira (28), porém, o papel acumulava queda de 14% no ano, contra alta de 19% no índice S&P 500.

XP Investimentos

Abra sua conta e ganhe uma mochila XP Aston Martin

Confira os 4 passos para garantir a sua

EU QUERO

Leia mais:

Aumento de dividendos

A GM terá aumentando o dividendo trimestral de US$ 0,03 por ação para US$ 0,12 centavos a partir de 2024.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com o plano de recompra antecipada de ações, a GM pagará US$ 10 bilhões a um grupo de bancos credores e receberá US$ 6,8 bilhões e comprará tudo de ações ordinárias. A empresa tinha aproximadamente 1,37 bilhão de ações ordinárias em circulação antes da recompra.

O número total de ações recompradas será baseado na liquidação final e nos preços médios diários ponderados pelo volume das ações ordinárias da GM durante a vigência do programa, que será concluído no quarto trimestre de 2024. executado pelos bancos Bank of America , Goldman Sachs, Barclays e Citigroup.

A GM receberá US$ 1,4 bilhão em capital restante para recompensas de ações adicionais.

A dimensão do novo plano de recompra pode irritar o sindicato UAW, cujo presidente, Shawn Fain, criticou o GM por recomprar ações ao longo da última década, ao mesmo tempo em que oferecia aumentos menores aos seus funcionários horistas.

O novo orientação da empresa está abaixo da previsão anterior à greve, prevendo lucro por ação de US$ 6,52 a US$ 7,02, incluindo o impacto estimado da recompra. A previsão anterior era de US$ 6,54 a US$ 7,54 por ação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sem contar os custos do programa de recompra, o orientação de lucro por ação ajustada da GM está entre US$ 7,20 e US$ 7,70, abaixo da estimativa máxima de US$ 8,15.

Ações em queda

As ações da GM enfrentaram dificuldades em parte porque os investidores consideraram que uma greve resultaria em custos trabalhistas mais elevados. Mas também há uma questão existencial para a GM e outras montadoras tradicionais: o negócio de veículos de combustão interna é visto como em lento declínio no longo prazo, enquanto os fabricantes tradicionais não fornecem energia elétrica em volume suficiente para acompanhar a Tesla.

Sob a gestão da Barra, a GM obteve lucros recordes, mas os problemas nas suas instalações de baterias mantiveram a produção de elétricos na casa dos milhares, enquanto as vendas anuais da Tesla se aproximaram de 1,8 milhão de veículos. A bateria Ultium da GM deveria permitir à empresa fabricar vários tipos de carros elétricos a partir da mesma plataforma e vencer os concorrentes no mercado com uma panóplia de veículos.

Barra disse que a GM deveria ter a produção ajustada para 2024. Os elétricos são uma grande parte da estratégia da montada para dobrar as vendas para US$ 280 bilhões até 2030.

“Embora eu esteja decepcionado com nossa produção de veículos elétricos com baterias Ultium em 2023 devido a dificuldades com a montagem do módulo, fizemos melhorias substanciais tanto no processo quanto na organização do trabalho”, disse Barra na carta. “Em 2024, esperamos uma produção de elétrica com o Ultium significativamente maiores e margens nesse segmento também muito melhores.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Leia também:

Boletim de Notícias

Quer aprender a investir – e lucrar – no exterior?

Inscreva-se na newsletter do InfoMoney para receber informações sobre tributação, procedimentos de envio e sugestões de alocação para seu dinheiro lá fora. É de graça!